Pedro Alcântara (Canal: Ateu Informa) is creating Vídeos para o Youtube
0

patrons

$0
per month
Seres humanos interestelares! Venho por meio desta justificar meu pedido de auxílio financeiro.
Subtítulo: caso considere o argumento abaixo válido, tenha disponibilidade financeira e goste da proposta do meu canal, achando que ela deveria ser ampliada, Kant diria que se você não ajudar você não é um cara maneiro!


  • A necessidade da mercância a partir da especialização dos trabalhos
No Livro I da "República" de Platão, há um diálogo no qual  Sócrates, debatendo com Trasímaco, aduz que "a medicina não objetiva a sua própria vantagem, mas a do corpo" e conclui que ninguém exerce as profissões (medicina ou qualquer outra) sem algum tipo de compensação.
Ora, uma vez que o beneficiado pelo exercício da profissão é aquele a quem o exercício se destina e não o profissional, é válido algum estímulo para que o profissional se mantenha se esforçando e inovando. Por profissão damos o significado de "atividade que uma pessoa exerce de maneira contumaz, costumeira e, na medida de sua capacidade, especializada".


Comentário sobre o diálogo entre Sócrates e Trasímaco

Na mesma linha, Adam Smith, no primeiro capítulo de "A Riqueza das Nações", fala de forma direta:
"Não é da benevolência do açougueiro, do cervejeiro ou do padeiro que esperamos nosso jantar, mas da consideração que eles têm pelo seu próprio interesse. Dirigimo-nos não à sua humanidade, mas à sua auto-estima, e nunca lhes falamos das nossas próprias necessidades, mas das vantagens que advirão para eles".


Primeiro Volume - Livro Primeiro - Capítulo I a VI

Assim sendo, perceba que nós que criamos conteúdo para o Youtube podemos criar espontaneamente conteúdo para internet sem nenhum recebimento em troca, mas sem nenhum ganho precisaremos encontrar outros meios de nos mantes, sem falar que mais difícil será conseguir os valores para investir no canal e melhorar a técnica e a estética por trás do vídeo que, todos sabemos, pode tornar o alcance da mensagem do vídeo maior.

Por esse motivo, saiba que há uma maneira interna do Youtube para estabelecer uma espécie de "rede contratual" para que aqueles que fabricam conteúdo possam oferecer os vídeos em troca de uma renda gerenciada pelo Youtube.


  • Como o Youtube promove a mercância para estimular a produção de conteúdo e auferir renda e o problema dos ad-blocks
Vejamos os passos:

1) O Youtube disponibiliza gratuitamente em seu site espaço para "hostiar" meus vídeos.
A empresa Google arca com a mão de obra para manter o site no ar, consertar defeitos e atualizar a página. Uma relação gratuita, onde o Youtube gasta e não ganha nada em troca.
*As setas abaixo apontam para quem se beneficia.
Eu <- (meios) - Youtube.

2) Eu passo tempo elaborando os vídeo e coloco no Youtube, com conteúdo que atrai a alguns de vocês, que assistem ao vídeo.
Um contrato gratuito, onde gasto meu tempo e dinheiro (com material necessário à elaboração do conteúdo) e não ganho nada em troca. Subo o vídeo que será exposto na plataforma do Youtube, plataforma que recebe conteúdo, por sua vez acessado pelos interessados.
Eu - (conteúdo) -> Youtube
Youtube - (conteúdo) -> Vocês.

3) O Youtube me questiona se quero monetizar meus vídeos. Haverá 2 contratos.
a) Há o contrato da empresa com o Youtube, um contrato é oneroso, onde a empresa paga e recebe espaço para divulgar publicidade. A empresa paga ao Youtube uma quantia, em troca ela ganha visibilidade.
Empresa particular - (dinheiro) -> Youtube.
Youtube - (espaço publicitário) -> Empresa particular
Youtube - (vídeo + ônus de assistir publicidade) -> Vocês.

b) O Youtube me repassa parcela desse ganho, caso eu permita que no meu vídeo passe a propaganda.
Youtube - (dinheiro) -> Eu.

Assim, você, que não pagou nada, tem o ônus de assistir um trecho (item 3.a.) de uma propaganda que talvez não goste (e às vezes até ver uma propaganda de algo que te agrada), para ter o conteúdo dos meus vídeos e dos demais criadores.

4) Eu recebo dinheiro e me empenho para fazer mais vídeos, melhorar meu equipamento. O Google recebe, continua a manter o site e cresce. A empresa particular interessada em divulgação publicitária tem maior visualização e talvez lucre mais em seu mercado. Você assiste o conteúdo que você gosta, de forma personalizada, na hora que quiser, com o único ônus de ver trechos de propagandas que talvez não goste a cada vídeo.

5) Se você usa ad-block, isso causa certo dano direto ao produtor de conteúdo. Provavelmente eu não vou parar de fazer vídeo, nem ninguém que você gosta vai deve parar de fazer vídeos.
Essa não é a questão. Mas se não utilizassem essa ferramenta, as pessoas iriam gastar um pouquinho de tempo para beneficiar alguém que está produzindo algo que elas desfrutam.

Isso perpetra o princípio da reciprocidade e incentiva a produção por parte dos Youtubers.
Se você tá cagando para reciprocidade, deve levar em conta também que os ganhos dos produtores de vídeo seriam maiores se você não usasse ad-block.
E por ventura vale mais a pena gastar tempo com outras coisas do que produzindo conteúdo pra você, se esse conteúdo não é devidamente remunerado, não porque o produtor é mal caráter e ganancioso, mas porque precisa viver e bem viver, pense nisso.


  • Por que eu gostaria da sua colaboração voluntária a partir do Patreon!?
Primeiro, por estima própria, não sejamos hipócritas, preciso viver bem e gostaria que parcela desse bem viver fosse disponibilizada através da produção de conteúdo que gero na internet, pois do contrário não posso me dedicar como gostaria a esse projeto.
Assim, para me estimular a produzir para o Youtube, tornado viável dedicar o meu tempo a isso, talvez vocês possam contribuir com a produção do canal com uma colaboração pelo Patreon.

Sem rodeios, eis a questão. Bem vindos os novos patrões do canal Ateu Informa. 

Paz pra todos!
Seres humanos interestelares! Venho por meio desta justificar meu pedido de auxílio financeiro.
Subtítulo: caso considere o argumento abaixo válido, tenha disponibilidade financeira e goste da proposta do meu canal, achando que ela deveria ser ampliada, Kant diria que se você não ajudar você não é um cara maneiro!


  • A necessidade da mercância a partir da especialização dos trabalhos
No Livro I da "República" de Platão, há um diálogo no qual  Sócrates, debatendo com Trasímaco, aduz que "a medicina não objetiva a sua própria vantagem, mas a do corpo" e conclui que ninguém exerce as profissões (medicina ou qualquer outra) sem algum tipo de compensação.
Ora, uma vez que o beneficiado pelo exercício da profissão é aquele a quem o exercício se destina e não o profissional, é válido algum estímulo para que o profissional se mantenha se esforçando e inovando. Por profissão damos o significado de "atividade que uma pessoa exerce de maneira contumaz, costumeira e, na medida de sua capacidade, especializada".


Comentário sobre o diálogo entre Sócrates e Trasímaco

Na mesma linha, Adam Smith, no primeiro capítulo de "A Riqueza das Nações", fala de forma direta:
"Não é da benevolência do açougueiro, do cervejeiro ou do padeiro que esperamos nosso jantar, mas da consideração que eles têm pelo seu próprio interesse. Dirigimo-nos não à sua humanidade, mas à sua auto-estima, e nunca lhes falamos das nossas próprias necessidades, mas das vantagens que advirão para eles".


Primeiro Volume - Livro Primeiro - Capítulo I a VI

Assim sendo, perceba que nós que criamos conteúdo para o Youtube podemos criar espontaneamente conteúdo para internet sem nenhum recebimento em troca, mas sem nenhum ganho precisaremos encontrar outros meios de nos mantes, sem falar que mais difícil será conseguir os valores para investir no canal e melhorar a técnica e a estética por trás do vídeo que, todos sabemos, pode tornar o alcance da mensagem do vídeo maior.

Por esse motivo, saiba que há uma maneira interna do Youtube para estabelecer uma espécie de "rede contratual" para que aqueles que fabricam conteúdo possam oferecer os vídeos em troca de uma renda gerenciada pelo Youtube.


  • Como o Youtube promove a mercância para estimular a produção de conteúdo e auferir renda e o problema dos ad-blocks
Vejamos os passos:

1) O Youtube disponibiliza gratuitamente em seu site espaço para "hostiar" meus vídeos.
A empresa Google arca com a mão de obra para manter o site no ar, consertar defeitos e atualizar a página. Uma relação gratuita, onde o Youtube gasta e não ganha nada em troca.
*As setas abaixo apontam para quem se beneficia.
Eu <- (meios) - Youtube.

2) Eu passo tempo elaborando os vídeo e coloco no Youtube, com conteúdo que atrai a alguns de vocês, que assistem ao vídeo.
Um contrato gratuito, onde gasto meu tempo e dinheiro (com material necessário à elaboração do conteúdo) e não ganho nada em troca. Subo o vídeo que será exposto na plataforma do Youtube, plataforma que recebe conteúdo, por sua vez acessado pelos interessados.
Eu - (conteúdo) -> Youtube
Youtube - (conteúdo) -> Vocês.

3) O Youtube me questiona se quero monetizar meus vídeos. Haverá 2 contratos.
a) Há o contrato da empresa com o Youtube, um contrato é oneroso, onde a empresa paga e recebe espaço para divulgar publicidade. A empresa paga ao Youtube uma quantia, em troca ela ganha visibilidade.
Empresa particular - (dinheiro) -> Youtube.
Youtube - (espaço publicitário) -> Empresa particular
Youtube - (vídeo + ônus de assistir publicidade) -> Vocês.

b) O Youtube me repassa parcela desse ganho, caso eu permita que no meu vídeo passe a propaganda.
Youtube - (dinheiro) -> Eu.

Assim, você, que não pagou nada, tem o ônus de assistir um trecho (item 3.a.) de uma propaganda que talvez não goste (e às vezes até ver uma propaganda de algo que te agrada), para ter o conteúdo dos meus vídeos e dos demais criadores.

4) Eu recebo dinheiro e me empenho para fazer mais vídeos, melhorar meu equipamento. O Google recebe, continua a manter o site e cresce. A empresa particular interessada em divulgação publicitária tem maior visualização e talvez lucre mais em seu mercado. Você assiste o conteúdo que você gosta, de forma personalizada, na hora que quiser, com o único ônus de ver trechos de propagandas que talvez não goste a cada vídeo.

5) Se você usa ad-block, isso causa certo dano direto ao produtor de conteúdo. Provavelmente eu não vou parar de fazer vídeo, nem ninguém que você gosta vai deve parar de fazer vídeos.
Essa não é a questão. Mas se não utilizassem essa ferramenta, as pessoas iriam gastar um pouquinho de tempo para beneficiar alguém que está produzindo algo que elas desfrutam.

Isso perpetra o princípio da reciprocidade e incentiva a produção por parte dos Youtubers.
Se você tá cagando para reciprocidade, deve levar em conta também que os ganhos dos produtores de vídeo seriam maiores se você não usasse ad-block.
E por ventura vale mais a pena gastar tempo com outras coisas do que produzindo conteúdo pra você, se esse conteúdo não é devidamente remunerado, não porque o produtor é mal caráter e ganancioso, mas porque precisa viver e bem viver, pense nisso.


  • Por que eu gostaria da sua colaboração voluntária a partir do Patreon!?
Primeiro, por estima própria, não sejamos hipócritas, preciso viver bem e gostaria que parcela desse bem viver fosse disponibilizada através da produção de conteúdo que gero na internet, pois do contrário não posso me dedicar como gostaria a esse projeto.
Assim, para me estimular a produzir para o Youtube, tornado viável dedicar o meu tempo a isso, talvez vocês possam contribuir com a produção do canal com uma colaboração pelo Patreon.

Sem rodeios, eis a questão. Bem vindos os novos patrões do canal Ateu Informa. 

Paz pra todos!

Recent posts by Pedro Alcântara (Canal: Ateu Informa)